Para uma mudança profunda da qualidade da pedagogia na universidade

Flàvia Vieira

Resumen

No quadro atual de reforma do ensino superior na Europa, a qualidade do ensino é uma das prioridades da agenda das instituições. Contudo, o ensino continua a ocupar um lugar menor face à investigação e raramente constitui objeto de estudo. A inovação pedagógica tende a ser de natureza relativamente tecnicista, sem efeitos significativos na profissionalidade docente e no estatuto da pedagogia.
Neste texto, argumenta-se a favor de uma mudança profunda da qualidade da pedagogia, ilustrada com um movimento de indagação pedagógica desenvolvido na Universidade do Minho desde 2000, no qual se coloca a investigação ao serviço do ensino e do desenvolvimento profissional, e os professores são entendidos como agentes de interrogação e mudança de culturas estabelecidas, produtores e disseminadores de conhecimento pedagógico, e autores da sua profissionalidade.

A análise dos projetos desenvolvidos revela que a indagação da pedagogia tem um potencial transformador individual e coletivo, mas apresenta limitações e encontra obstáculos à sua legitimação em contextos onde é uma atividade marginal e de transição, e onde a investigação se dissocia do ensino e do desenvolvimento profissional. Os movimentos como o que aqui se apresenta desenvolvem-se em contracorrente e constituem uma forma de promover uma mudança profunda, conferindo aos professores o direito de se tornarem investigadores e arquitetos da pedagogia e da sua profissão.




Palabras clave

mudança profunda; qualidade; pedagogia; universidade

Texto completo:

PDF (português)

Referencias

Alves, P., Vieira, F. & Van Hattum, N. (2005). Experiências de inovação pedagógica na Universidade do Minho: Direcções emergentes. In B. Silva & L. Almeida (Orgs.), Actas do VIII Congresso Galaico-Português de Psicopedagogia (pp. 2009-2021). Braga: Universidade do Minho.

Barnett, R. (2000) University knowledge in an age of supercomplexity. Higher Education, 40(4), 409-422.

Barnett, R. & Coate, K. (2005). Engaging the curriculum in higher education. Maidenhead: The Society for Research into Higher Education & Open University Press.

Boyer, E. (1990). Scholarship reconsidered: Priorities of the professoriate. Princeton: The Carnegie Foundation for the Advancement of Teaching.

Cunha, M. I. (2010). Diálogo com as experiências: que conclusões incitam os estudos? In M. I. Cunha (Org.), Trajetórias e lugares de formação da docência universitária: da perspectiva individual ao espaço institucional (pp. 201-299), Araraquara – SP: Junqueira&Marin Editores.

Gijón Puerta, J. P. & Crisol Moya, E. (2012). La internacionalización de la Educación Superior. El caso del Espacio Europeu de Educación Superior. Revista de Docencia Universitaria (REDU), 10(1), 389-414. Publicado em http://redaberta.usc.es/redu

Giroux, H. (2010). Ensino superior, para quê? Educar, 37, 25-38.

Giroux, H. (2013). When schools become dead zones of the imagination: A critical pedagogy manifesto. Retirado a 22 de janeiro de 2014 de http://truth-out.org/opinion/item/18133-when-schools-become-dead-zones-of-the-imagination-a-critical-pedagogy-manifesto

Gottlieb, E. & Keith, B. (1997). The academic research-teaching nexus in eight advanced-industrialized countries. Higher Education, 34, 39-420.

Hattie, J. & Marsh, H. (1996). The relationship between research and teaching: A meta-anaysis. Review of Educational Research, 66 (4), 507-542.

Kincheloe, J. (2006). Construtivismo crítico. Mangualde: Edições Pedago.

Maison, S. & Schapper, J. (2012). Constructing teaching and research relations from the top: An analysis of senior manager discourses on research-led teaching. Higher Education, 64, 473-487.

Morley, L. (2003). Quality and power in higher education. Maidenhead: The Society for Research into Higher Education & Open University Press.

Nóvoa, A. (2013). The blindness of Europe: New fabrications in the European educational space. Sisyphus Journal of Education, 1(1), 104-123. Publicado em http://revistas.rcaap.pt/sisyphus

Rué Domingo, J., Arana, A., González de Audícana, M., Abadía Valle, A. R., Blanco Lorente, F., Bueno Garcia, C., & Fernandéz March, A. (2013). El desarrollo docente en España em educación superior: El optimismo de la voluntad en un modelo de caja negra. Revista de Docencia Universitaria (REDU), 11(3), 125-158. Publicado em http://redaberta.usc.es/redu

Santos, B. S. (2008). A universidade no século XXI: Para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. In B. S. Santos & N. A. Filho (Eds.), A universidade no século XXI: Para uma universidade nova (pp. 15–78). Coimbra: Almedina.

Serow, R. (2000). Research and teaching at a research university. Higher Education, 40 (4), 449-463.

Shore, B., Pinker, S., & Bates, M. (1990). Research as a model for university teaching. Higher Education, 19, 21-35.

Shulman, L. (2004a). Teaching as community property – Essays on higher education. San Francisco: Jossey-Bass.

Shulman, L. (2004b). Four-word: Against the grain. In M. T. Huber (Ed.), Balancing acts: the scholarship of teaching and learning in academic careers. Retirado a 25 de novembro de 2004 de http://www.carnegiefoundation.org

Tomàs Folch, M., Castro Ceacero, D., & Feixas Condom, M. (2012). Tensiones entre las funciones docente e investigadora del profesorado en la universidad. Revista de Docencia Universitaria (REDU), 10(1), 343-367. Publicado em http://redaberta.usc.es/redu

Vidal, J. & Quintanilla, M. (2000). The teaching and research relationship within and institutional evaluation. Higher Education, 40 (2), 217-229.

Vieira, F. (2009a). Em contracorrente: O valor da indagação da pedagogia na universidade. Educação, Sociedade e Culturas, 28, 107-126.

Vieira, F. (Ed.) (2009b). Transformar a pedagogia na universidade – Narrativas da prática. Santo Tirso: De Facto Editores.

Vieira, F. (2013). O professor como arquiteto da pedagogia na universidade. Revista Teias, 14(33), 138-156. Publicado em http://www.periodicos.proped.pro.br/index.php/revistateias

Vieira, F., Gomes, A., Gomes, C., Silva, J. L., Moreira, M. A., Melo, M. C., & Albuquerque, P. B. (2002). Concepções de pedagogia universitária - Um estudo na Universidade do Minho. Braga: Universidade do Minho.

Vieira, F., Silva, J. L., & Almeida, J. (2012). Transformar a pedagogia na universidade: um caminho de transgressão? In A. S. Júnior (Org.). Educação e contemporaneidade – Contextos e singularidades (pp. 145-170). Salvador: EDUFBA/ EDUNEB.

Winter, R. (2009). Academic manager or managed academic? Academic identity schisms in higher education. Journal of Higher Education Policy and Management, 31(2), 121-331.

Zabalza Beraza, M. A. (2012). El estudio de las “buenas prácticas” docentes en la enseñanza universitaria. Revista de Docencia Universitaria (REDU), 10(1), 17-42. Publicado em http://redaberta.usc.es/redu

Abstract Views

575
Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivar 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1887-4592   https://doi.org/10.4995/redu